História

História 2017-12-01T23:34:13+00:00

Jacomina partiu da Holanda em 1990 para uma grande viagem por terra e mar, cruzando o Atlântico e outros oceanos num barco à vela, deixando-se levar pelo vento, pela chuva, neve e sol. Uma viagem que mudou o rumo da sua vida.
Quando voltou à Holanda para o funeral de seu pai, decidiu permanecer na Europa ao lado do oceano e escolheu a Galiza para passar uns dois ou três anos tranquila, sózinha e assim poder escrever, pintar, dançar e aprofundar o seu contacto com a naturaza e o sagrado.
Numa breve viagem à Galiza encontrou o que procurava, na costa e no oceano, em Santiago de Compostela. Quando voltou para ficar, começou a sua busca na Península de Morrazo, com as idéias claras e bem definidas. Logo no primeiro dia da sua busca, na quarta casa para onde ligou a perguntar se estava disponível para arrendamento durante uns tempos, encontrou um casal alemão que a recebeu de braços abertos. Apresentaram-na a outro alemão e no dia seguinte levaram-na a Punta de Couso, onde estavam umas pessoas de férias que lhe ofereceram a casa dos seus sobrinhos, ao lado, para arrendar ou comprar. Jacomina decidiu que sim. Tinha encontrado a sua casa em quatro dias! Depois de uns meses de arrendamento, decidiu comprar a casa para poder fazer umas reparações urgentes. A casa era feliz depois de três anos sem habitantes. Muitas coincidências! Parecía que a tinha esperado.
Começou com as obras na casa e no jardím. Quando umas amigas e amigos terapeutas a visitaram, pediram-lhe que os deixasse dar oficinas neste lugar fantástico. Assim, despertou um velho sonho de ter um centro ao lado do mar e, pouco a pouco, começou a nascer o Centro Punta de Couso. Novamente, a Jacomina deixou-se levar pela sua paixão, desenhando, dirigindo e coordenando as obras com poucos conhecimenos de castelhano. Uma verdadeira aventura!
Após cinco anos de intensas obras na casa e no jardím, o centro estava preparado para cumprir a sua função. A vizinha do lado, da mesma família, ofereceu-lhe a sua casa para que a comprasse também. Assim fez e ,de novo, obras e mais obras. No final, depois de sete anos a viver nas obras, chegou o tempo de estar tranquila, sózinha, escrever, pintar e dançar.
Mas não durou muito. Com pouca publicidade, o centro começou a funcionar em 1997, ajudado por um artigo e uma fotografia da sua sala de meditação na capa do livro “Casas com encanto” de El Pais/Aguilar. O Centro Punta de Couso continua a funcionar, cada vez mais bonito. Protegida e ajudada de muitas maneiras, Jacomina pôde realizar o seu sonho de partilhar este lugar mágico, onde a energía do lugar “faz metade do trabalho”.